24 de abril de 2010, esse dia eu nunca vou esquecer. Foi um dia maravilhoso, me diverti muito com amigos queridos, renovei meu estoque de maquiagem, foi aniversário da minha sobrinha torta mais amada do planeta, enfim… Tinha tudo para ser um ótimo dia. Quando, nas últimas horas do dia, recebo uma ligação que eu não queria receber nunca na minha vida.

– Ana Laura, o seu pai piorou, foi para o hospital e não resistiu.

Foi tudo o que eu consegui ouvir até cair no chão de tanto desespero. Estava sozinha em casa e não tive forças para responder a pessoa do outro lado da linha. Desde então não tive inspiração para escrever no blog. Rascunhei vários textos sobre a ausência do meu pai, mas nenhum soube expressar o verdadeiro sentimento do momento. Só consigo pensar em clichês como: é uma dor que nunca vai passar, terei que me acostumar e aprender a viver com ela. O que é verdade, mas não é isso que quero escrever sobre o que aconteceu. Papai foi a minha inspiração de vida, foi o cara que eu cresci querendo ser igual, foi o meu melhor amigo e melhor companheiro. Sobre ele quero escrever coisas boas, como ele desejaria e merece!

Sendo assim, quando o coração acalmar e a alma quietar, escreverei sobre o meu pai. No momento, deixo aqui registrado nossas últimas palavras:

– Até amanhã, querida!

– Até amanhã, pai!

.

Anúncios